quinta-feira, 11 de junho de 2009

"Diário Íntimo duma Depressão" - Mathilde Monaque

*

*

Sinopse: «Um documento cheio de esperança, escrito por uma adolescente atingida pela depressão.
Aos 14 anos, Mathilde sente-se mal.
Diagnóstico: depressão.
Ao sair do hospital, continua sem compreender as razões do seu sofrimento, mas sabe muito bem por que razão deve continuar a viver. E foi por isto que ela escreveu este relato, luminoso e terno, para nos dizer que é possível ultrapassar uma situação tão terrível. A depressão do adolescente nada tem a ver com a depressão no adulto. Não provoca um sentimento de culpa. Acima de tudo, é um terramoto: abala as certezas, cria o medo de sermos quem somos, o receio de não amar e de não ser amado.
Mathilde uma adolescente «sobredotada», o que não significa que ela é mais inteligente, mas sim que ela armazena maior quantidade de emoções e de percepções que os outros. Assim, Mathilde é capaz de descrever, com uma sensibilidade extrema e numa escrita lúcida, o universo de uma jovem que se despedaça contra a vida.»
*
Opinião pessoal: Sempre gostei de relatos de histórias pessoais, e este não foi excepção.
A Mathilde, apesar de ter apenas 16 anos, soube transpor para o papel aquilo que lhe ia na alma. Penso que ajudou o facto de ela ser sobredotada.
A depressão, conjuntamente com um distúrbio alimentar, a anorexia, são problemas bastante comuns hoje em dia na nossa sociedade.
O facto de ela se sentir só e não se sentir amada, e a somar a tudo isto, o caso dela estar sempre preocupada em agradar aos outros, e a questionar-se constantemente sobre o sentido da vida, conduziu-a a um quarto de hospital, onde conheceu pessoas com os mesmos problemas, ou mesmo piores do que os dela, o que a levou a valorizar a vida e a perceber que, no fim de contas, ela até era feliz com a vida que levava e com aquilo que tinha.
*

2 comentários:

David disse...

Achei muito interessante o tema. Ser sobredotado sem ser mais inteligente, nunca tinha ouvido tal coisa mas é de facto interessante. Obrigado

Ratinho de biblioteca disse...

Olá David!
De facto, as sinopses do livro não são da minha autoria, como deves ter percebido.
Confesso que quando li isso também me soou um pouco estranho.
Sabia, por exemplo que um sobredotado pode ter só muitos conhecimentos numa determinada matéria, mas daí a significar não ser mais inteligente... bem, mas os especialistas é que sabem.
Obrigada pela tua opinião.
Volta sempre, pois aqui todas as opiniões são bem vindas e respeitadas :-D